quarta-feira, 11 de março de 2009

Das coisas que são precisas.

Apaixonar-se não é arte fácil. É preciso ter luz nos olhos, peito cheio, frio na barriga, gosto de nuvem no céu da boca, eletricidade na pele e felicidade. É preciso, mais que tudo, sentir. É preciso aquela busca interna por ver graça naquele cenário. Aquela graça que só você vê. Aquele sorriso que só ele dá. Aquele olhar que só ela sabe desmontar. É busca de pedaço, busca por espaço. É aquela ausência dos nervos de aço. É o que te faz gostar de sertanejo, comer pastel de queijo e rir de percevejo passeando no braço ao entardecer. Apaixonar é rima banal sem ser vulgar. Mas certo dia vem um descompasso. As ligações já sufocam, o perfume enoja o estômago, a calça verde é cafona demais pra passear. O queijo do pastel fica borrachudo e nada mais rima no andar dessa paixão. É quando você volta a ser você, no gradativo dos dias, mesmo sem querer. Com seus livros do Galeano no fim da tarde, sua repúdia por café, suas pinturas de Monet e os acordes da Bossa Nova que te fazem colorido. Tudo, menos sertanejo. Sendo assim, desapaixonar seria fácil. Afinal, você se retoma, inebria-se da sua essência, ao invés daquela procura, do agradar, da mudança. Desapaixonar é mais fácil talvez que apaixonar. A diferença é que um é escolha e o, outro necessidade.

Para Giovana, que sempre me deixa feliz quando lê aqui e que me inspira com seus anseios.

7 comentários:

Lubi disse...

des e apaixonar-se.
exercício.
ambos necessários.

um beijo, querida. grande.

Rebeca Rocha disse...

apaixonar é fácil.. acho mais difícil o desapaixonar. Apesar de ser necessidade, é tão difícil conseguir...
lindo seu texto!

Márcia(clarinha) disse...

E a necessidade jamais é escolha...
Que belezura de precisões.

lindo dia
beijos

Max Rota disse...

Falou e disse, Cla. Ótimo texto.

geo. disse...

eu não sei se fico mais feliz pela homenagem, pelo texto ou pelo carinho.

enfim, amei do fundo do coração (o mesmo que está tentando se desapaixonar) a homenagem.

posso dizer que esse cantinho, seu blog, é iluminado por si só, e o fato de ser tão bonito e tão verdadeiro, me faz bem. ou seja, é prazeroso lê-lo.

e o texto, ah...como era bom a fase da "busca do pedaço, da busca do espaço", mas acho que estou convivendo bem melhor com o fato de que o pastel de queijo é bem mais borrachudo do que eu pensava...e assim isso vai saindo de mim.

um beijo, obrigada pelo carinho!

A czarina das quinquilharias disse...

true, true, true.

Claris disse...

aaaii, to tãaao precisada de uma paixão! (suspiros...)

dear, o Madame Problème eu to aposentando. Vou encerrá-lo. Meus posts mais frequentes são nos Zipadas. -apesar do tempo que faz desde o ultimo post. Mas vou providenciar um novo hoje! =)

Um beijo!